Seminário Aberto – Módulo VII

As Múltiplas Faces da Cisão
“O ponto de vista que postula que em todas as psicoses há uma divisão do eu (splitting of the ego) não poderia chamar atenção se não se revelasse passivel de aplicação a outros estados semelhantes às neuroses, finalmente, às próprias neuroses” (Freud, 1940).

Austria, Viena, Bergasse 19, natal de 1937. Freud escreve um artigo inacabado, que será publicado postumamente em 1940: A Cisão do Eu no processo de defesa. Texto intrigante, que narra em suas quatro páginas, o retorno de Freud às suas inquietações com o Eu e suas cisões (1896 […]1918, 1923, 1924 ,1927, 1937) diante da percepção, traumática, da castração. Temática que dá continuidade de um lado ao tema da renegação (Verleugnung) e, de outro, deixa em aberto a possiblidade de pensarmos as outras cisões e sua função estrutural no e do Eu.
Temos um amostra dessa proposição – estrutural – no capítulo VIII do Esboço de Psicanálise. Seguindo esse pensar, qual o motivo para Freud, no final da vida, retomar o tema da cisão?
Talvez mais uma recomendação, seguir especulando sua pertinência nas diferentes estruturas psíquicas, em especial, seu caráter constitutivo: similar à cisão do recalque?
Nesse sentido, nosso seminário tem a pretensão de exercitar um pensar sobre as multiplas faces da cisão, que encontramos no pensamento freudiano: Verdrängung – Verleugnung – Verwerfung. Para realizar tal meta, tomaremos como interlocutor o complexo de castração em sua ampla complexidade.

Local: Sede da SBPdePA – Praça Maurício Cardoso, 07 –

Informações: comunicacao@sbpdepa.org.br

INSCREVA-SE:

Profissionais R$ 200,00





Estudantes R$ 150,00